sábado, 23 de novembro de 2013

Não Me Olhe Agora


Não me olhe agora
Porque nada sobrou no fim
Meus pedaços lançados porta a fora
Cacos de um amor em mim

Não me olhe agora
Arrasto-me no frio soalho
Meu rastro de lágrimas no carvalho
Apenas chorar me resta nesta hora

Não me olhe agora
Minha ferida está aberta, sangrando
Exposta ao seu olhar de víbora
Sem pesar, me machucando

Não. Não me olhe agora
Noutro dia nos encontraremos, talvez
E o sorriso no meu rosto novamente verá
Saberá então que o amor me alcançou
Outra vez


domingo, 10 de novembro de 2013

Carolina


Carolina, doce menina
Que minha mente desatina
Corpo de mulher, face divina
Seu cheiro me entorpece, alucina

Carolina, doce menina
Divago nas linhas do seu corpo
Salivo na boca seu gosto
Transpiro minha adrenalina

Carolina, doce menina
Não és de ninguém, nem és minha
Sem dono, sem laço, arredia
De meninos e meninas é a rainha

Carolina, doce menina
Te olho de longe, com medo
Essa é a minha rotina
Se chego perto, perco de vez o sossego

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

poesias para TODA FORMA DE AMOR


    A versão final do meu livro; poesias para TODA FORMA DE AMOR está linda! 
Esse sou eu deitado em "minha cama de poesias". Estes já estão quase todos vendidos, mas você pode comprar o seu exemplar na versão física (impressa) e digital no site www.amazon.com e também a versão digital em www.amazon.com.br.

Tô feliz! Feliz! Feliiiiiiiiiiiiiiiz!!!!!!!
      



sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Ontem



Ontem te amei
Dediquei a ti tudo o que sonhei
De meus sentidos e medos me privei
Ontem me entreguei

Ontem te pertencia
E já não era aquele que pedia
Minha vontade própria se desfazia
Ontem, apenas me anulava, cedia

Ontem era seu o querer
E eu pronto a anteceder
Seus desejos, mimos e suas vontades
Ontem era seu todo o poder

Ontem você não deu valor
Dispunha tão fácil do meu amor
Das formas que pode, dele abusou
Ontem você me machucou

Ontem foi apenas mais um dia
Marcado apenas por sua covardia
Mas, certo que um novo raiaria
Ontem mesmo, você em mim morria