sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Força da Natureza



Mar revôlto, seus cabelos
Afago e me afogo em seu cheiro
Puxo contra mim o seu fôlego
Luto com sua língua nesse ósculo

Brasa incandescente, sua pele
Deslizo e me queimo por inteiro
Suas chamas na minha febre, me arrepio
Queimamos em gotas nosso combustível

Abalo sísmico, em nossa cama
Te seguro e o tremor me arrebata
Entrelaçados pela força do amor
Urramos aos quatro ventos nosso gozo






Nenhum comentário:

Postar um comentário